Kelly Slater rompe patrocínio de Quiksilver após 23 anos

01 de abril de 2014 · Atualizado às 10h46
Compartilhe:

Kelly Slater (Reprodução/ site da Quicksilver)

Com movimento parecido ao de Michael Jordan, quando deixou a Nike ou David Beckham, que rompeu com a Adidas, Kelly Slater anunciou oficialmente ter acabado o seu casamento com a marca Quiksilver, que foi seu patrocinador durante 23 anos.

Assim como Jordan com a Nike, Slater foi umas das apostas mais acertadas de uma marca na história do esporte. A Quiksilver fechou contrato com o surfista, considerado um dos melhores de todos os tempos, quando ele tinha apenas 18 anos e era apenas uma promessa. O acordo foi realizado um pouco antes de Slater ganhar 100 mil dólares com o  Body Glove Surfbout em Lower Trestles e deixar o mundo em alerta com respeito aos seu brilhante futuro, que se concretizou.

Num trecho da carta aberta escrita por Slater, para se despedir da empresa, fica evidente o sentimento de gratidão do surfista. “Eles me apoiaram por momentos bons e ruins, dificuldades pessoais e triunfos competitivos, e nunca hesitaram em apoiar as minhas escolhas e desejos em todo esse tempo. Sob a tutela de Bob McKnight, Bruce Raymond, Alan Green, Pierre Agnes e Danny Kwock (e muitos outros), a Quiksilver assinou comigo um contrato de patrocínio em 1990, terminando minha carreira amadora e me guiando para a minha vida profissional e adulta... Não poderia haver melhor parceiro para mim”.

Na mesma carta, Slater justificou a sua decisão. “Eu estou animado para dizer-lhe que eu escolhi O Grupo Kering como parceiro. Eles compartilham os meus valores e têm a capacidade de me apoiar em todos os meus empreendimentos”. Bob McKnight, fundador e presidente executivo da Quiksilver, também comentou a saída do surfista. "Kelly tem sido parte da família Quiksilver por mais de 20 anos. Foi uma jornada incrível vê-lo crescer a partir de um jovem surfista com grande potencial e chegar 11 vezes ao título de campeão do mundo. Desejamos a Kelly tudo de melhor esta nova fase de sua carreira".

Para o mercado brasileiro, que espera evoluir no segmento de marketing esportivo nos próximos anos, não poderia haver benchmarking melhor que este quando o assunto é a relação de um patrocinador com o seu atleta.

Redação Adnews
Com informações do site ASPworldtour

Comentários ()


Receba notícias no seu e-mail